TORTA DE MAMONA (RICINUS COMMUNIS L.): FERTILIZANTE E ALIMENTO

Como fertilizante é um dos melhores, pois tem elevado conteúdo de nitrogênio, fósforo e cálcio quando comparada a outros adubos orgânicos, conforme pode ser observado na Tabela 2:

A adição de torta de mamona no solo, com dosagens variando de acordo com a cultura e o tipo de solo e da riqueza ou não de nutrientes, além de suprir as necessidades nutricionais das plantas aumenta o pH do solo, reduz a acidez total, eleva o conteúdo de carbono e promove melhoria geral na parte física do solo, além de reduzir os nematóides (Lear, 1959), e elevar o poder tampão e a capacidade de troca de cations do solo (Primavesi, 1980), além de reduzir a densidade aparente do ambiente edáfico em todos os tipos de solos (Kiehl, 1979), o que interfere positivamente no crescimento e no desenvolvimento radicular, devido a melhor porosidade do solo, com mais rápida renovação do oxigênio. A torta de mamona como condicionante do solo e melhoradora da estrutura do mesmo, ou seja, da bioestrutura, é melhor do que as demais tortas, devido a riqueza em fibra, como pode ser visualizado na Tabela 3, retirada de Assis et al. (1962), pois é este material que ao ser processado por bactérias aeróbicas como Cytophaga e Sporocytophaga que produzem a cola bacteriana, elemento fundamental para a formação dos grumos e a consequente estabilidade dos agregados nos solos tropicais.

A torta de mamona é um excelente adubo orgânico, podendo ser usado em qualquer cultura, mesmo sem ter sido desintoxicada, sendo muito rica em nitrogênio e fibra.